28 de outubro de 2010

Não faz sentido.

Era uma tarde fria, não sei como cheguei até aqui, estava na rua onde você morava.
Mais alguns passos e estava na porta da sua casa, seria duas batidas.
Pensei, recuei. Voltei e chamei.
Não, não fazia sentido isso tudo, você não era mais minha, tinha outra pessoa parecia feliz.
Por que eu estava ali? Não sei, eu precisa de uma prova.
Eu sabia, sabia que não amava ela. Lembrei que uma vez me disse, que eu poderia ver muita coisa, ouvi. Mas aquilo era só momentos, era a mim que você amava.
E eu sabia que o amor não acaba assim, nem uma transa ou várias.
Não, isso não destrói um amor!
Eu pensei.
Peguei o vôo e não sei com que forças cheguei aqui.
Fui tirada dos meus pensamentos ao ouvir a sua voz.
Meu coração disparou, minhas mãos tremiam, suavam, minhas pernas estavam bambas.
E por um momento eu esqueci tudo e me joguei nos teus braços, foi tão único aquele momento, senti teu cheiro teus braços, mas logo o ódio tomou conta de mim e me afastei, senti nojo e te olhei.
Foi então que você apenas falou um " Oi... '' Eu sabia que você queria dizer mais coisas, queria falar que era bom me vê. Mas apenas perguntou " Como? " eu respondi.
Não importa.
Você me convidou para entrar, eu disse que não queria. Queria falar com você, mas longe dali, longe da sua casa.
Você me levou até uma pracinha, fomos andando caladas.
Você abriu a boca pra falar algo, eu pedi pra não falar nada.
Chegamos à uma praça, sentamos e eu depois de abrir e fechar a boca várias vezes, falei.
" Como você podê? Por que jogou nosso amor fora? Eu não posso acreditar... "
Você me interrompeu tocando em minhas mãos, e dizendo que me amava.
Eu recuei perguntei dela, você disse que tava só.
Perguntei quantas, você se calou.
Você disse que não suportava, que não aguentava mais viver sem me tocar, sem me sentir.
Disse que foi apenas tesão, nunca amou as outras. Disse que eu era a única.
Que era a mim que amava.
Me puxou pelos braços e me abraçou.
Eu suspirei, recuei.
Você disse que sabia que eu sentia o mesmo, se não por que diabos eu estaria ali?
Eu menti, disse que estava de passagem com uns amigos e resolvi vê-lá.
Você abaixou o olhar e perguntou se eu tinha alguém.
Eu grossa, respondi que não interessava.
Perguntou se eu ainda a amava; Eu disse que não importava.
Eu disse que precisava ir.
Pedi pra você ser feliz e me esquecer.
Foram alguns passos, você me chamou eu não olhei.
Continuei a caminhar e quando vi sua mão fria tocou meu braço.
Pediu pra eu olhar nos seus olhos.
Eu recuei, sabia que não suportaria.
Você me virou e segurou firme em meus braços, me fez olhar nos teus olhos.
Seus olhos eram triste, sua voz suou sincera.
Eu te amo, sempre te amei e sempre vou te amar.
Desculpa por tudo, eu fui uma idiota, e quando percebi que havia te perdido eu sofri demais.
Eu te liguei você não atendeu, eu te mandei emails, cartas e você não respondeu.
Você é tudo pra mim, Bianca.
E sei que assim como eu, ainda me ama.
Eu suspirei e cai nos teus braços, joguei todo ódio e mágoa fora.
E dei outra chance ao nosso amor.

2 comentários:

  1. delicinha
    Passando para deixar um grande
    Beijo
    Leo.SeximaginariuM

    ResponderExcluir
  2. aaah.. valeu pelo UP.
    *-*
    Beeijo, boa noite!

    ResponderExcluir